quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

um redesign no futuro dos estados unidos



inaugurando essa nova era obama, a comunidade dos designers dos estados unidos, agindo em conjunto com agências do governo, editou recentemente um documento propondo ações oficiais para uma política nacional de design.

o documento redesigning america's future está disponível no website da u.s. national design policy initiative. no mesmo website existem outros documentos importantes para serem consultados: o relatório do encontro e as apresentações, que ajudam a ter uma idéia melhor do que aconteceu nos dois dias do encontro (11 e 12 de novembro de 2008), em washington. além de outras referências, as discusões se basearam inicialmente em ao menos dois antigos documentos também citados no website: o primeiro sobre o federal design improvement program, de 1972, e o outro um artigo escrito em 1973 por neil kleinman para a revista print, que se intitula design and the federal government.

o encontro foi organizado pela dra. elizabeth (dori) tunstall, professora associada de antropologia do design na universidade de illinois em chicago (autora de um blog bem interessante, dori's moblog - vale a pena dar uma olhada).

isso tudo é curioso, porque me lembro bem que o assunto "porque os estados unidos não possuem uma política nacional de design?" foi trazido à discussão durante o forum internacional de políticas públicas de design que eu organizei durante brazil design week em setembro do ano passado no rio de janeiro. e também porque no mesmo mês de novembro, enquanto eles promoviam o encontro que resultou no documento citado acima, nós reunimos diversas associações nacionais em torno da criação do forum brasil design (como passou a se chamar o forum brasileiro de design - ver post anterior, de novembro de 2008), uma organização que certamente irá ajudar a promover o desenvolvimento de políticas nacionais e regionais de design no brasil. parece que estamos caminhando em sincronicidade com muitas outras iniciativas que acontecem ao redor do globo hoje. e é ótimo saber disso.

espero que apreciem todos os links para documentos importantes disponibilizados acima!

2 comentários:

giraulik disse...

Eu gostaria de comentar a questao "why the u.s. doesn't have a national design policy?". Existe uma expectativa geral de que a receita ideal para todo pais eh 'politica+programas de design com dinheiro publico para implementacao'. Este 'conceito ideal' ignora as particularidades de cada pais, especialmente o sistema politico e economico. O fato eh que alguns paises (inlcuindo EUA) tem um modelo de mercado aberto, onde a competitividade define a sobrevivencia de empreasas. Nestes casos, a tarefa do governo passa a ser garantir uma economia estavel, educacao, informacao, e leis que facilitem empresas operar e competir no mercado. Neste contexto, o apoio do governo ao design eh dado indiretamente.
O ponto onde quero chegar eh que politicas publicas de design precisam ser diferentes de um pais para outro, tomando em consideracao o sistema politico e economico, alem de fatores sociais e culturais. Nao existe uma receita.
Gisele

gabriel patrocínio disse...

gisele:

a questão, que surgiu no debate que se seguiu ao fórum de políticas públicas da brazil design week, foi levantada se não me falha a memória pelo manoel muller, presidente da abedesign.

segundo ele próprio, ela foi formulada como provocação, e na resposta e debate que se seguiu foi dito exatamente isso - numa economia de mercado como a dos estados unidos, o papel do governo é indireto.

mesmo assim pode-se depreender de uma leitura do documento "redesigning america's future" que os anseios da sociedade americana são razoavelmente ortodoxos no que diz respeito a políticas de design: criação de um conselho de design para atuar junto ao governo; criação de uma secretaria de design para assessorar a pasta do comércio; maiores investimentos públicos em pesquisas de design; levantamento sobre o design como ferramenta de desenvolvimento econômico; encorajar investimentos diretos do governo em inovação em design, e por aí vai... dos dez pontos listados no documento, talvez apenas dois digam respeito a questões mais diretamente relacionadas aos estados unidos.

ou seja, apesar de concordar com a sua afirmação de que políticas públicas de design precisam ser diferentes de um país para o outro, que não existe uma receita, uma pergunta é inevitável: será que a crise nos une na formulação de um "modelo ideal" de políticas públicas de design?