quarta-feira, 25 de março de 2009

é por isso que eu digo que o rio é mais design...

ultimamente não paro de me surpreender, constatando que estamos finalmente começando a viver a era do design no brasil.

hoje tomei parte de uma reunião articulada pela secretaria de cultura do município do rio de janeiro, presidida pela secretária jandira feghali, com a subsecretária de artes visuais cláudia zarvos (designer formada pela esdi) e o subsecretário washington fajardo, responsável pelo patrimônio, intervenções urbanas, arquitetura e design – uma subsecretaria de nome panfletário, segundo washington, ou consistente com o seu propósito, segundo jandira.

entre os mais de trinta representantes do setor de design carioca presentes, um mix perfeito: do sérgio rodrigues ao oscar metsavaht, da esdi e puc à coopa-roca e daspu, do andré stolarski da tecnopop ao rafael rodrigues da pvdi e o nobu do oestúdio, do rafael cardoso, historiador, à ana luisa escorel, bitiz afflalo, claudia moreira salles, joão de souza leite. estavam todos lá, e muita gente mais.

antes de mais nada, parabéns à secretaria de cultura pelo encontro organizado de forma competente. e muito obrigado por ter sido convidado – e ouvido.

o entusiasmo de todos era tão grande, que a reunião terminou mais de duas horas depois do previsto, sem que quase ninguém saísse antes, e ainda se estendeu num almoço de alguns remanecentes com a secretária. todos cheios de idéias e de vontade de acreditar mais uma vez, e de colaborar também, com a proposta apresentada de um centro de referência de design, que lide com presente, passado e futuro, que ajude a reunir e a planejar, com o objetivo de criar uma agenda pública para o setor, de definir o papel no design na reconstrução da cidade e da autoestima do carioca. criando, segundo disse rodolfo capeto, diretor da esdi, uma política de design de estado, de caráter mais perene, e não de governo, que é transitório.

isso no mesmo momento em que no grupo consultivo de design da secretaria de desenvolvimento do estado do rio de janeiro se delineia a rio+design 2009 (e a rio+design milão, que acontecerá em abril durante a feira do móvel), em que o fórum brasil design debuta com o manifesto por um design brasileiro, além de tantas outras coisas que ainda é cedo para listar por aqui (mas que em breve marcarão presença no panorama do design do rio de janeiro)... 

parece bom demais para ser verdade. 
mas juro para vocês: é tudo verdade !

4 comentários:

Bárbara Emanuel disse...

puxa, Gabriel, que ótimo. Fico feliz em saber que as pessoas estão se movimentando e que as coisas estão se encaminhando nessa direção. Espero mesmo que continuem assim... vamos torcer e trabalhar pra isso.

Você sabe onde eu posso saber mais sobre esse rio+design milão? Estou procurando e mesmo no site do evento não diz nada... Estou pensando em passar por lá e queria saber mais sobre o que vai ter do rio na feira.

Abraços,
Bárbara

gabriel patrocínio disse...

bárbara,

a rio+design milano vai acontecer no palazzo giureconsulti, que fica na piazza dei mercanti logo em frente à piazza del duomo - bem no coração de milão, num lugar bastante movimentado.

mais adiante vou postar alguma coisa sobre a mostra. não é ótimo estar acontecendo tanta coisa assim?

Schoenacher disse...

Gabriel,

Tenho visto muitos notícias positivas sobre design aqui no Brasil.

Temos profissionais brasileiros sendo reconhecidos internacionalmente, com produtos que fazem sucesso de venda e de crítica.

A profissão de designer tendo sua importância reconhecida em grandes empresas que têm portfólios importantes de marca.

Até mesmo os governos dando o devido valor a essa atividade.

A minha pergunta é: o que será que vem gerando essa série de boas notícias? O que nós, designers, podemos fazer para manter essa chama viva e evitar que ela se apague?

A propósito, parabéns pelo blog. Tenho acompanhado-o de perto.

Abraços

gabriel patrocínio disse...

schoenacher,

o que vem gerando as boas notícias? acho que é inevitável. chega uma hora em que a peneira não dá mais conta de tapar o sol. design é ferramenta indispensável para o desenvolvimento. e o país não pode mais ignorar isso, ou manter esse discurso apenas em palavras.

ah! e não dá mais para falar de design sem designers, design feito sem formação, sem qualificação e sem qualidade. queremos design, mas design de qualidade. queremos design ensinado com qualidade. queremos indústrias de qualidade produzindo produtos de qualidade. qualidade internacional, para competir em qualquer mercado.

e o que nós designers podemos fazer?

que tal a gente se juntar, se associar, se reunir, e lutar pelo interesse comum? que tal voltar para a universidade, e participar, propor, tentar aperfeiçoar, renovar, fazer o ensino avançar? e porquê não ser um pouco menos crítico, ou menos ácido, mais participativo, mais cidadão?

e que tal começar convocando todo mundo para assinar o manifesto por um design brasileiro, e cobrar das associações o compromisso assumido pela criação e pelos ideais do fórum brasil design (sem se esquecer que para isso precisamos antes apoiar as associações).

pois é, precisamos só começar!

vamos lá?